Semana do Meio Ambiente: Tribunal organiza feira com produtos sustentáveis

07:00 | 07 de junho de 2019



DA CASA - Um pneu velho dá origem a um banco e um CD vira uma porta-copos. Já um pedaço de madeira ou sobras de tecidos se transformam em panos de prato, caixas e outros itens, todos confeccionados dentro da órbita do reaproveitamento. Os itens fazem parte da Feirinha Sustentável do TRT de Mato Grosso, evento realizado nesta quinta-feira (06) no saguão do Complexo-sede da instituição.

A comercialização de produtos saudáveis é mais uma atividade da Semana do Meio Ambiente que está ocorrendo na Justiça do Trabalho mato-grossense. A ação vai entrar no calendário mensal de atividades, com edições que serão realizadas nas últimas quintas-feiras de cada mês, conforme explica a chefe da seção de Gestão Socioambiental do TRT, Natália Pansonato.

A feira vai contar com a participação de microempreendedores e artesões que irão trazer produtos naturais e orgânicos para expor. Os itens estarão disponíveis para o público interno e externo.  “O objetivo da feirinha é estimular o consumo de produtos naturais e fomentar a economia local para criar novos hábitos de consumo e investir na qualidade de vida”, afirma Pansonato.

Um dos expositores presentes na primeira edição da feirinha sustentável foi o Clube A, empreendimento que reúne 80 artesãs. A instituição mantém atualmente um espaço no Shopping Estação, onde expõe, comercializa as peças produzidas e ministra cursos de qualificação para as pessoas interessadas em aprender a fazer artesanato.

Na feirinha do TRT, o Clube A trouxe vários produtos confeccionados a partir de itens que ganharam uma nova roupagem e funcionalidade, a exemplo do pneu velho que virou um banco ou da gaveta sem aproveitamento e que com a customização se transformou em um charmoso criado-mudo.

Já a artesão Janete Hartmann expôs os produtos que ela cria a partir de latas descartadas, como leite e atum, e transforma em baldes porta-trecos ou uma peça para o oratório. Os CDs, que viram mandalas, porta-copos ou mensageiros dos ventos, assim como tábuas que passam a funcionar como porta-chaves e quadros também estão no rol das peças produzidas no ateliê de Janete.

Castanhas do Pará colhidas da floresta, sem nenhuma degradação ao meio ambiente, assim como a farinha de mandioca com origem na agricultura familiar foram os itens expostos pela CastanhaF. No quiosque da empresa, outros produtos naturais podiam ser conferidos, como cúrcuma e mel, alimentos com propriedades medicinais.

A feirinha contou ainda com a exposição de tapetes e mantas de sofá confeccionados em fibras naturais, mochilas e nécessaires do Projeto Luxo sem Lixo do Espaço Nassar, além dos desenhos cheios de vidas e cores da ilustradora Camila Pasinato. Comida vegana, a exemplo de pães, patês, pizzas e bolos foram outros produtos comercializados e que devem estar presentes nas próximas edições do evento.

 

(Fabyola Coutinho)

Comentários


+ Notícias

Feriado Regimental - Dia do Magistrado e Dia do Advogado são comemorados nesta terça-feira

DA CASA - Em razão do Dia do Magistrado e do Dia do Advogado, ambos comemorados em 11...

10 de agosto de 2020


ELEIÇÃO - Comissão de Acessibilidade e Inclusão convida para votação

DA CASA - A Comissão Permanente de Acessibilidade e Inclusão convida a todos para participarem da...

10 de agosto de 2020


NOTA DE PESAR - Mãe do servidor Edilson Guimarães

DA CASA - Com pesar, comunicamos o falecimento de Ana Luíza Ferreira Guimarães, mãe do...

10 de agosto de 2020


Veja todos(as)

+ Da Casa